11 3873-6696

Casa das Caldeiras

Casa das Caldeiras um patrimônio cultural

arte, território, patrimônio. e agora pessoas.

Acompanhe a Casa das Caldeiras no YouTubeAcompanhe a Casa das Caldeiras no YouTube Acompanhe a Casa das Caldeiras no FacebookAcompanhe a Casa das Caldeiras no Facebook Acompanhe a Casa das Caldeiras no TwitterAcompanhe a Casa das Caldeiras no Twitter Acompanhe a Casa das Caldeiras no Google PlusAcompanhe a Casa das Caldeiras no Google Plus

FALAR SOBRE FAMÍLIA TE INCOMODA?

FALAR SOBRE FAMÍLIA TE INCOMODA?

Queremos conhecer o seu arranjo familiar!

FALAR SOBRE FAMÍLIA TE INCOMODA?

Quando se fala de “Família” é inevitável que a primeira imagem que venha à mente seja um formato de certa forma “padronizado”, como em propagandas de margarina: Pai, Mãe, filhos, seguidos de avós, tios e primos e isso pode vir a provocar um certo desinteresse.  E isso acaba contaminando um tanto a percepção de um projeto cujo nome é "Manual da Família".

Talvez a sua primeira impressão com relação a este projeto tenha sido: “É fácil falar de família quando se tem uma família “modelo”, no meu caso é diferente! ou “Poxa... mas a minha família é diferente do padrão! Este projeto não é para mim?”

Então, nós queremos te dizer: muito pelo contrário! Acreditamos que não existe uma receita pronta! Na verdade, não existe se quer um Manual para famílias. Cada família possui particularidades que a torna única. E você pode sim participar, refletir e se integrar a esta transformação que estamos propondo. É uma transformação no olhar, na percepção, colocando mais consciência e intenção nas relações.

Por isso, resolvemos nos aprofundar no tema, explanar sobre nossas ideias e explicar que quando falamos de “família”, estamos pensando em algo mais amplo e não apenas em algo que seja selado necessariamente por laços sanguíneos e nos “modelos” pré-estipulados.

Quando falamos de família, estamos falando de afetividade, de confiança, dos cuidados e de laços que são construídos ao longo da vida por conta dos encontros, das experiências vividas e da ajuda mútua. A missão deste projeto é inspirar uma transformação a partir do convívio familiar. Por isso, o que buscamos não é apenas dialogar com este ou aquele tipo de família, que muitos chamam de família tradicional. A nossa sociedade vem se transformando cada vez mais e os formatos de família atuais são múltiplos. E é exatamente com essa multiplicidade, diversidade, que queremos dialogar. Os infinitos formatos e arranjos de família é exatamente o que nos interessa!

O MANUAL DA FAMÍLIA QUER CONHECER O SEU FORMATO DE FAMÍLIA E APRENDER AINDA MAIS COM ELE

Para pensarmos na formação de um núcleo familiar por qualquer pessoa ou grupo de pessoas, é necessário antes buscarmos o que exatamente se entende por “família”, e isso não é uma tarefa fácil. Existe uma grande variedade e diversidade, próprias dos seres humanos, para o estabelecimento de relações de cuidado.  

A família e os seus processos de transformação são também importantes para nossas reflexões dentro do projeto. E também, como cada pessoa se transforma e transforma suas relações com o passar do tempo e da convivência na sociedade.

Se buscarmos o significado da palavra “família” no dicionário, encontraremos explicações como:

  • Conjunto de pessoas, em geral ligadas por laços de parentesco, que vivem sob o mesmo teto.
  • Conjunto de ascendentes, descendentes, colaterais e afins de uma linhagem ou provenientes de um mesmo tronco; estirpe.
  • Pessoas do mesmo sangue ou não, ligadas entre si por casamento, filiação, ou mesmo adoção; parentes, parentela.
  • Grupo de pessoas unidas por convicções, interesses ou origem comuns.

E alguns dicionários ainda citam a expressão “Em família” que significa: familiarmente, sem cerimônia, na intimidade.

Elisabeth Beck-Gernsheim (socióloga, psicóloga e filósofa alemã), em seu livro “A Reinvenção da Família”, comenta sobre as transformações na família nos últimos anos do Século XX, a grande procura por novos estilos de vida e como esses processos afetam as nossas relações familiares. A autora comenta que “antigas certezas” que tinham como base a tradição, a religião, a biologia e assim por diante, foram se enfraquecendo diante das novas opções dispostas, apesar de não desaparecerem. E novas opções vão aparecendo de acordo com as escolhas de cada pessoa, regulações sociais, controles, pressões e com as mudanças na sociedade em geral.

Elisabeth defende ainda que os processos de individualização despertam o desejo de uma vida própria, mas que seguem junto aos desejos de construir “laços, proximidade e comunidade”.

“O que se segue depois da família? Muito simplesmente a família. Apenas diferente, mais e melhor: a família negociada, a família alternativa, família múltipla, novos arranjos depois do divórcio, recasamento, novo divórcio, novas combinações dos teus, meus ou nossos filhos, das nossas famílias passadas e presentes” – A Reinvenção da Família – Elisabeth Beck-Gernsheim, 2003.

Pensando na família em um sentido mais amplo, entendemos então que este é um núcleo socioafetivo, onde os vínculos entre os seus membros se formam por relações de afeto trocadas, independente de terem a mesma origem genética. Cada membro da família cumpre o seu papel buscando ajudar aos demais, colaborando para o desenvolvimento da personalidade e da potencialidade de cada um. Todos juntos buscando a felicidade e o desenvolvimento pessoal.

QUEM É FAMÍLIA PRA VOCÊ? QUEM SÃO AS PESSOAS COM QUEM VOCÊ CONVIVE? EM QUEM VOCÊ CONFIA?

Talvez, nem exista uma ligação sanguínea entre você e as pessoas que você considera como família. Talvez você e sua família tenham laços afetivos tão consistentes, que os torna tão ou mais unidos do que uma família do formato padronizado, um modelo tradicional.

Talvez, você tenha passado por perdas de parentes próximos, e agora se ampare em amigos com quem divide o lar, as despesas, as alegrias, as tristezas, como se fossem irmãos.

Talvez, você seja fruto de uma relação matrimonial que acabou e agora vive com a nova família escolhida pelo seu pai ou por sua mãe. Ou agora, você encontra em alguma avó ou uma tia próxima, a figura materna que não tem mais. Um avô que hoje assumiu o papel de pai. As possibilidades são inúmeras!

As pessoas com quem você conta nos momentos de dificuldade, pra quem você conta suas vitórias e com quem você divide suas experiências é quem hoje forma a sua família. A família é identificada pela comunhão de vida, de amor e de afeto. Onde você busca igualdade, liberdade, solidariedade e responsabilidade recíproca.

No projeto Manual da Família buscamos a junção de distintas Famílias para formar uma Comunidade. Esta Comunidade também forma uma grande família, assim como a “Família” que formamos naquele exato momento dos nossos encontros, das nossas Vivências Família-Ação. Através desta rede estabelecida, é possível trocar experiências, sensações, dar e receber apoio. Por isso, independente do formato da sua família, você é bem-vindo! E está convidado a se integrar neste projeto que quer abarcar toda essa pluralidade. Afinal, todos nós somos uma grande família, em busca de uma convivência harmoniosa no planeta! Vamos juntos?

FALAR SOBRE FAMÍLIA TE INCOMODA?

 

Artigos Relacionados

Olá, deixe seu comentário para FALAR SOBRE FAMÍLIA TE INCOMODA?

Enviando Comentário Fechar :/
Patrocinadores
Patrocinadores
Patrocinadores
Patrocinadores