11 3873-6696

Casa das Caldeiras

Casa das Caldeiras um patrimônio cultural que oferece eventos diferenciados.

arte, território, patrimônio. e agora pessoas.

Acompanhe a Casa das Caldeiras no YouTubeAcompanhe a Casa das Caldeiras no YouTube Acompanhe a Casa das Caldeiras no FacebookAcompanhe a Casa das Caldeiras no Facebook Acompanhe a Casa das Caldeiras no TwitterAcompanhe a Casa das Caldeiras no Twitter Acompanhe a Casa das Caldeiras no Google PlusAcompanhe a Casa das Caldeiras no Google Plus

Vulcão [criação e pesquisa cênica]

Vulcão [criação e pesquisa cênica]

programa Obras Em Construção 2017

No ano de 2017 na residência na Casa das Caldeiras, o Vulcão [criação e pesquisa cênica] se debruçou ainda mais no estudo e pesquisa da transposição da literatura para o palco.

Concretizou o projeto Águas do Mundo, espetáculo teatral que tem como disparador poético o romance “Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres” de Clarice Lispector. O cerne da encenação de Águas do Mundo é o trabalho da intérprete, Vanessa Bruno, conduzido pelo ator, Marcos de Andrade, que assina pela primeira vez a direção de um espetáculo. Os dois artistas, durante todo o ano de 2017, estiveram na sala de ensaio para encontrar a estrutura da montagem. O estudo aprofundado da obra da autora recebeu diversos materiais comparativos e referências, dentre os mais significativos, o trabalho teórico do mitólogo Joseph Campbell; pictórico de Edward Hopper, Vilhelm Hammershoi, Marc Chagall, Oswaldo Goldi; cinematográfico de Bergman, Allen, Polansky, Jodorowsky, Tarr, Malik, Tarkovski, Cassavetes e, principalmente das cineastas Chantal Akerman e Maya Deren. A partir deste vasto material, atriz e diretor construíram uma estrutura fragmentada, que se repete, com lógica própria para narrar a vivência de uma mulher que em meio às atividades cotidianas, encerrada em seu pequeno apartamento, atravessa um turbilhão de pensamentos e emoções, da sua solidão ao relacionamento com um homem com quem conversa por telefone. Ela espera e busca por aprender a amar e desaprender a vergonha que sente por seu próprio corpo e a proibição do prazer. Durante sua aprendizagem, numa ocorrência trivial -  banhar-se no mar - ela se descobre e se vê revelada uma realidade mais profunda. O encontro desta mulher com o mar, momento único de libertação e plenitude, ganha destaque na encenação, sendo pensado com um apêndice espacial. Desse modo a cena que dá a ver esse encontro surpreende o público por estar "fora" da casa/palco, numa busca por representar o ápice da epifania.
Águas do Mundo tem estréia prevista para o primeiro semestre de 2018.

Neste ano, também, os atores Paulo Salvetti e Elisa Volpatto iniciaram um trabalho de pesquisa teórico-prática acerca da obra Orlando, de Virgínia Woolf, para desenvolvimento do espetáculo Orlandx. Num primeiro momento, o livro foi estudado e dissecado pelos atores, que desenvolveram um mapeamento temático e estrutural para cada capítulo, tendo em vista uma investigação de arquiteturas possíveis para a dramaturgia se edificar. Iniciaram, também, respostas cênicas para a criação de cada momento do espetáculo, de tal modo a levantar um esqueleto possível para a peça se desenvolver. A pesquisa de referências sobre o universo da obra de Woolf também ocorreu, agregando músicas, imagens e vídeos para o futuro projeto do Vulcão [criação e pesquisa cênica]. Em 2018, os atores voltarão para sala junto da diretora Vanessa Bruno para dar prosseguimento ao trabalho de construção dramatúrgica e encenação do espetáculo.

Com o [Treinamento Vulcão], a continuidade da pesquisa corporal e vocal se manteve semanalmente neste ano de 2017, ampliando a possibilidade de troca com outros atores convidados do Vulcão e tem se tornado, cada vez mais, o embrião do futuro espetáculo de dança-teatro “Água Viva”, a partir do livro homônimo de Clarice Lispector. O Treinamento é desenvolvido apoiado em 5 eixos: aquecimento corporal a partir da Técnica Klauss Vianna (TKV), conduzido por Livia Vilela, conscientização vocal, ministrada por Elisa Volpatto; levantamento de material cênico, proposto por Vanessa Bruno; jogo espacial e de relação entre os intérpretes a partir do método Viewpoints guiado pelo ator convidado Oliver Tibeau; e, estudo de referências teóricas orientado por Paulo Salvetti.

O Vulcão também entrou em cartaz com seu repertório neste ano, realizando temporadas com o solo “A Dor - a partir de La Douleur de Marguerite Duras”, “Pulso - a partir da vida e da obra de Sylvia Plath” e com o infanto-juvenil “Brincar de Pensar - contos de Clarice Lispector no Palco para pessoas grandes ou pequenas”. Sempre após os espetáculos adultos foram realizados os encontros para debate e trocas de ideias, o [Vulcão conversa].

Artigos Relacionados

Olá, deixe seu comentário para Vulcão [criação e pesquisa cênica]

Enviando Comentário Fechar :/
Patrocinadores
Patrocinadores
Patrocinadores
Patrocinadores